Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksBioGene / Media Center / Notícias

Notícias

21/07/2016

Produção de soja pode movimentar R$ 2 bilhões em dez anos no Amapá

A produção de soja no Amapá conseguiu movimentar R$ 50 milhões nos seis primeiros meses de 2016. Ainda recente no estado, o cultivo do grão superou as demais colheitas na safra local e tem uma meta ousada para alcançar em dez anos, segundo a Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja).

De acordo com o presidente da Aprosoja, Daniel Sebben, a intenção do segmento é movimentar pelo menos R$ 2 bilhões por ano em uma década. Para alcançar as cifras, no entanto, os produtores dizem que ainda precisam percorrer um longo caminho.

“Estamos no início, praticamente no berço. O importante é que nós começamos, mostramos viabilidade e sustentação. Agora temos um horizonte enorme para desenvolver pela frente de potencial, o que pode vir gerar no Amapá algo cerca de 30% do PIB [Produto Interno Bruto] geral do estado”, comentou Sebben.


Uma das ações a serem tomadas pelo segmento para alavancar ainda mais a produção é a visita em 21 de julho de uma comitiva composta por agricultores, políticos e empresários amapaenses a cidade de Maringá, no Paraná, para conhecer o modelo de cultivo da região.

A escolha do município paranaense deve-se pelas características semelhantes entre a região Norte do Paraná com o cerrado do Amapá. Ambos os lugares, por exemplo, têm o cultivo praticado por produtores de pequeno e médio porte.

“Acreditamos que é algo parecido com a realidade fundiária do Amapá, que possui impedimentos por lei para formação de grandes latifundiários, diferente de como aconteceu no Centro-Oeste do país”, disse Sebben.

Na avaliação dos sojeiros, para alcançar a meta em dez anos, a produção deve seguir com o desempenho atual. Em junho, por exemplo, o cultivo gerou 42,2 mil toneladas, um crescimento de 43% em relação ao mesmo mês do ano anterior, ficando atrás somente da mandioca. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Fonte: Globo.com