Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksBioGene / Media Center / Notícias

Notícias

31/08/2016

Emater divulga perspectivas para a safra de verão

Mesmo com colheita de 4,8 mi de t de milho, oferta não deve ser suficiente para atender demanda interna pelo grão no RS.

Embalada pelos bons preços do grão e pelo possível clima favorável, a safra de milho 2016/2017 deve alcançar 4,8 milhões de toneladas no Rio Grande do Sul, segundo estimativa da Emater/RS-Ascar , divulgada durante a Expointer, em Esteio, RS.

Se confirmada, a produção será 2,6% superior às 4,7 milhões de toneladas de 2015/2016. A área plantada também deve crescer, alcançando 805,646 hectares, alta de 8,9% em relação à safra anterior.

Mas, mesmo com o aumento de área e produção, a safra não deve ser suficiente para atender a demanda interna do grão no Estado - que é puxada pela alimentação de animais das cadeias de frangos, suínos e bovinos de leite.

"Seria necessário mais 1 milhão de toneladas para sanar a demanda interna do grão. Fora isso também temos cerca de 371.099 hectares para a produção de silagem", destaca Walmir Netto gerente técnico Estadual da Emater/RS.

De acordo com Netto, outro fator que tem freado o aumento da produção de milho no RS é a competição com a soja. "Mesmo com o preço do milho estando bom, muitos produtores optam por plantar soja - que também está com um preço muito compensador e tem um custo de produção menor".

Soja - No caso da soja, a Emater prevê um aumento de 0,9% na área plantada, alcançando 5,5 milhões de hectares. Mesmo assim, a produção deve cair 2,1%, saindo de 16,1 milhões de toneladas para 15,8 milhões de toneladas.

Demais culturas de verão - A área plantada de arroz, por sua vez, deve crescer 0,6% ocupando o total de 1 milhão de hectares. Enquanto a produção irá saltar de 7,5 milhões de toneladas em 2015/16 para 8,3 milhões de toneladas em 2016/17, alta de 11,3%.

Para o feijão, estão previstas reduções de 1,3% na área plantada (39.800 ha) e de 10,5% na produção (53.301 mi de t). "Embora os preços dessa cultura também estejam atrativos, boa parte da produção está ligada à agricultura familiar, que tem enfrentado um grave problema em relação a mão de obra", destaca Netto. Na falta de pessoal para operar as máquinas, os produtores têm feito a colheita manualmente. Segundo o gerente técnico, com isso, a produção tende a migrar para os médios e grandes produtores.

Na somatória das quatro culturas (milho, soja, arroz e feijão), a safra de verão 2016/2017 deve alcançar 29,1 milhões de toneladas, crescimento de 2,2% em relação a safra 2015/2016. A área plantada deve ocupar um total de 7,4 milhões de hectares, alta de 1,6% em relação à safra anterior.

Autor: Alisson Freitas
Fonte: Portal DBO