Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksBioGene / Media Center / Notícias

Notícias

29/09/2016

Soja: mercado em Chicago opera em alta em busca de recuperação

Os preços da soja na Bolsa de Chicago ainda buscam um direcionamento e, depois das baixas da sessão anterior, voltaram a subir nesta manhã de quinta-feira (29). Os futuros da oleaginosa, por volta das 7h30 (horário de Brasília), subiam entre 8,75 e 9,25 pontos, o que já levava o novembro a superar, mais uma vez, os US$ 9,50 por bushel. O maio/17, referência para a safra do Brasil, vinha cotado a US$ 9,73.

Os traders acompanham, entre os fundamentos, o cenário de clima para o avanço da colheita da safra 2016/17 no Meio-Oeste dos Estados Unidos - que foi bem mais favorável se comparado à semana anterior - e, ao mesmo tempo, as notícias de demanda pela soja norte-americana, a qual segue forte.

Somente nos últimos três dias úteis, os americanos venderam mais de 700 mil toneladas da commodity para os chineses e destinos não revelados. Nesta quinta, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) traz seu novo reporte semanal de vendas para exportação da última semana e pode contribuir com o direcionamento das cotações.

Ainda neste final de mês, em um mercado também bastante técnico e com os fundos ajustando suas posições - típico do período, segundo explicam analistas e consultores, o USDA chega com um novo reporte de estoques trimestrais e a espera pelos números acentua a volatilidade em Chicago. E essa é uma publicação, de acordo com analistas internacionais, que costuma trazer turbulências consideráveis para o mercado. Os números chegam nesta sexta-feira, 30 de setembro.

O mercado internacional de grãos segue ainda acompanhando o andamento dos preços do petróleo. Embora o impacto ainda não tenha vindo após o ganho de 5% registrado ontem, após a Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) anunciar um acordo para segurar a produção, o acompanhamento de faz necessário, principalmente nos dias em que as notícias sobre os fundamentos não têm tanta força.