Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksBioGene / Media Center / Notícias

Notícias

30/09/2016

Clima favorece plantio da safra de verão no RS

O plantio do milho evolui em todas as regiões, chegando a 54% da área estimada para o Estado. Na Fronteira Noroeste e Missões, a maior e primeira grande área a ser implantada com milho grão no RS (cerca de 118,5 mil ha), registra-se em torno de 70% da área já implantada, apresentando ótimo stand, porém com desenvolvimento mais lento nesse último período, em decorrência das baixas temperaturas ocorridas. Em outra grande área de cultivo, de cerca de 71,5 mil ha, que engloba as regiões Celeiro, Alto Jacuí e Noroeste Colonial, a semeadura também está avançando e deverá se intensificar no mês de outubro, assim como em outras regiões produtoras do Estado.

No arroz, segue o plantio na Campanha e Fronteira Oeste, além das regiões Central e Sul, esta sinalizando uma área semeada de um pouco abaixo de 200 mil hectares. Em todas as regiões produtoras, a expectativa dos orizicultores é de uma safra melhor, em função das previsões climáticas, podendo ocorrer aumento de área em alguns locais. O mercado do grão continua aquecido e os preços permanecem elevados, mas não há expectativa de maiores altas nas próximas semanas. Mesmo assim, produtores estão muito otimistas com a safra devido ao preço muito favorável.

É grande a movimentação de produtores de soja, intensificando os preparativos para a implantação da cultura no RS. Alguns iniciaram a dessecação das áreas em pousio, ao mesmo tempo em que revisam e regulam as máquinas para o plantio. Observa-se uma menor procura pelo custeio da lavoura junto aos agentes financeiros e pela elaboração de projetos, assim como pela busca das interpretações das análises do solo e recomendação da adubação, sendo providenciados os pedidos dos insumos. A paralisação dos bancários prejudica o andamento dos pedidos de custeios das lavouras de produtores que ainda não tinham realizado o seu planejamento. Na aquisição de insumos, há prioridade para fertilizantes e sementes.

Fonte: Emater/RS