Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksBioGene / Media Center / Notícias

Notícias

03/11/2016

Cotilédones: indicativo do bom desenvolvimento da soja

Terminado o período do vazio sanitário, tempo em que não se deve cultivar soja, após já um pouco mais de 30 dias, encontramos nas regiões dos estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás, lavouras de soja nos estágios VE emergência, VC cotilédones e V1 primeiro nó.

A semente de soja inicia a germinação por meio da absorção de água em quantidades equivalentes a 50% de seu peso.

O estádio VE ocorre de cinco a oito dias após a semeadura, dependendo das condições de umidade e temperatura do solo e da profundidade da semente. Logo após o VE, a expansão e desdobramento das folhas unifolioladas marcam o inicio do estádio de abertura dos cotilédones VC, que é seguido pelo demais estádios vegetativos.

As reservas nutritivas armazenadas nos cotilédones suprem as necessidades da planta jovem durante 7 a 10 dias depois de VE, ou até próximo do estádio V1.

Durante esse período, os cotilédones perdem 70% do seu peso seco. A perda de um cotilédone tem pequeno efeito na taxa de crescimento da planta jovem, mas a perda de ambos os cotilédones no estádio VE, ou próximo dele, reduzira os rendimentos em 8% a 9%. A partir de V1 a fotossíntese das folhas em desenvolvimento é suficiente para a planta se sustentar.

Nesse período, entre emergência e primeiro nó ou V1, os cotilédones são essenciais, nutrem a formação inicial da planta. Sua perda prematura, que pode se ocasionada por, falta de umidade, estresse térmico (calor o frio), compactação dos solos ou mesmo doenças e pragas, vai afetar o desenvolvimento normal da planta.

Autor: Áureo Lantmann