Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksBioGene / Media Center / Notícias

Notícias

22/12/2016

Grãos em 2017 devem puxar crescimento de 12,9% na renda no campo em Mato Grosso

A agricultura, em 2017, deverá ser responsável por 77% da renda no campo em Mato Grosso. A participação dos grãos será 2% maior que em 2016 visto a perspectiva de uma super safra de soja com 30,5 milhões de toneladas e de 25 milhões em milho. A previsão para o próximo ano no Estado é um Valor Bruto da Produção (VBP) da Agropecuária de R$ 63,6 bilhões.

A agricultura e a base florestal juntos deverão somar R$ 49,1 bilhões em ganhos da porteira para dentro, enquanto a pecuária R$ 14,4 bilhões. Em 2016, a soma do VBP da Agropecuária ficou em R$ 56,3 bilhões.

O Valor Bruto da Produção, como o Agro Olhar já destacou, corresponde ao faturamento bruto dentro das propriedades. O cálculo é realizado com base na produção da safra agrícola e da pecuária e nos preços recebidos pelos produtores brasileiros.

As projeções são do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). As perspectivas para o VBP da Agricultura e Floresta de R$ 49,1 bilhões são 16,6% superiores aos R$ 42,165 bilhões constatados em 2016. Já na pecuária o salto é de 1,9% de R$ 14,1 bilhões para R$ 14,4 bilhões.

Conforme as estimativas do Imea, a soja deverá apresentar crescimento de ganhos da porteira para dentro de R$ 28,7 bilhões para R$ 32,9 bilhões. O milho de R$ 6,03 bilhões para R$ 7,6 bilhões e o algodão de R$ 5,3 bilhões para R$ 6,2 bilhões.

“No VBP da Agricultura e Floresta notou-se aumento de 16,6% entre as previsões, causada principalmente pela retomada no VBP do milho (26,5%), após ter passado por uma quebra de safra no ano anterior, bem como as expectativas positivas para o VBP da soja e do algodão”, pontua o Imea.

Ainda de acordo com o Instituto, “no VBP do milho o aumento se deu, principalmente, devido as melhores expectativas para a safra 2016/17 em relação a produção, enquanto que na soja tanto o fator produção quanto preço, impulsionaram as estimativas do VBP. Para o algodão também são de uma safra maior e preços mais atrativos para a pluma de algodão”.

Na cultura da cana-de-açúcar a previsão é de ganho de R$ 1,5 bilhão, acima dos R$ 1,3 bilhão de 2016. No arroz a projeção é de R$ 462,7 milhões e em produtos florestais e lenhas estabilidade em R$ 253,09 milhões.

Pecuária

Dentro da pecuária, na bovinocultura são projetados ganhos 2,7% em 2017 superiores a 2016. O salto é de R$ 11,03 bilhões para R$ 11,33 bilhões. Crescimento da renda na porteira para dentro também são estimados na suinocultura de R$ 909,7 milhões para R$ 949,5 milhões.

Contudo, ao se olhar para o setor da avicultura mato-grossenses os números apontam queda de R$ 1,697 bilhão para R$ 1,662 bilhão. A cadeia do leite também tende a ter queda de R$ 541,8 milhões para R$ 508,7 milhões.

“No caso da bovinocultura de corte, aguarda-se um ano de maior oferta, contudo com preços em patamares levemente menores, enquanto que na suinocultura a expectativa são de preços estáveis e abate relativamente maior”, salienta o Imea.