Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksBioGene / Media Center / Notícias

Notícias

27/01/2017

Expectativa é de elevação média nas cotações das commodities em 2017

As principais commodities projetam elevação média em suas cotações em 2017, mas de maneira geral sem previsão de aumento no volume embarcado. A estimativa é de relatório da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB).

De acordo com a entidade, a soja em grão, pelo terceiro ano consecutivo, deverá continuar sendo o produto líder de exportação, com receita projetada de US$ 21,660 bilhões, decorrente de ligeiro avanço da cotação e médio crescimento da quantidade embarcada.

O documento pontua que como o índice de incremento das exportações de commodities será positivo e de manufaturados negativo, a participação dos produtos primários na pauta de exportação deverá saltar de 58% para 61% neste ano.

Em termos nominais, a AEB projeta que, em 2017, as exportações brasileiras alcançarão US$ 197,360 bi, aumento de 7,2% em relação a 2016. Por sua vez, as importações estão previstas em US$ 145,713 bi, acréscimo de 5,2% sobre 2016. Segundo a entidade, o superávit deverá ser US$ 51,647 bi, recorde histórico e maior que os US$ 45,654 bi de 2016.

Câmbio

No que diz respeito ao dólar, o estudo projeta que a taxa cambial deverá oscilar entre R$ 3,20 e R$ 3,50, influenciada pela elevação dos juros nos Estados Unidos e pelo quadro político-econômico vigente no Brasil.

O relatório da AEB esclarece que com este nível de taxa cambial, seu impacto sobre a competitividade das exportações de manufaturados em geral será limitado e/ou inexistente, com a América do Sul devendo continuar a ser o principal mercado para os produtos industrializados brasileiros.

Já com relação à China, principal cliente do agronegócio brasileiro, o documento pontua que a taxa cambial poderá provocar algum impacto negativo devido a eventual redução de cotações das commodities.

Fonte: Datagro