Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksBioGene / Media Center / Notícias

Notícias

20/06/2017

Milho: Mato Grosso do Sul tem excelente perspectiva de produtividade

Pragas, doenças e plantas daninhas estão controladas e a previsão de início da colheita é para o final do mês.

Com o fim do ciclo das lavouras de milho 2ª safra em Mato Grosso do Sul, algumas regiões do estado já apresentam excelentes perspectivas de produtividade, é o que aponta a Circular Técnica nº 213, do Siga MS (Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio).

Os dados foram levantados pelos técnicos do Siga MS, ferramenta da Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul). Eles percorreram propriedades nos principais municípios produtores do Estado durante a 1ª semana de junho.

Situação das lavouras

De um modo geral, as condições climáticas continuam favoráveis e boa parte das lavouras encontram-se com bom potencial de produtividade. Pragas, doenças e plantas daninhas encontram-se controladas, e a previsão de início da colheita é para o final do mês de junho. Saiba como está a situação das lavouras, por região.

Região norte

Municípios: Costa Rica, Chapadão do Sul, Coxim e Sonora. Situação geral: no que se refere às pragas, apesar de controladas, a cigarrinha-do-milho está dando trabalho aos produtores. Preocupação significativa em Chapadão do Sul e Costa Rica quanto às perdas nas lavouras decorrentes de ataques de porcos selvagens. Observou-se que nessa região há falta de chuva, provocando estresse hídrico. O veranico dura mais de duas semanas, Sendo 15 dias sem chuvas em boa parte da região norte.

Região centro-norte

Municípios: Jaraguari, Bandeirantes, São Gabriel do Oeste, Rio Negro, Rio Verde de Mato Grosso e Camapuã. Situação geral: com a proximidade do fechamento do ciclo da lavoura, as doenças não apresentam significância de perda na produtividade. Sendo assim, diante das excelentes condições vistas durante o desenvolvimento da cultura em praticamente toda a safra, os produtores estão cientes de que ótimas produtividades estão por vir.

Região centro

Municípios: Campo Grande, Nova Alvorada do Sul, Rio Brilhante, Sidrolândia e Terenos. Situação geral: boas condições climáticas. As lavouras encontram-se com bom potencial de produtividade. Pragas, doenças e plantas daninhas encontram-se controladas.

Região sudoeste

Municípios: Bonito, Bela Vista e Maracaju. Situação geral: a região se encontra mais atrasada na evolução do ciclo tendo como fator chave a diferença de clima. Com isso, se estabelece um plantio mais tardio em comparação às demais regiões. Na situação geral, as lavouras apresentam bom potencial de produtividade, com baixa incidência de pragas e doenças.

Região sudeste

Municípios: Eldorado, Itaquiraí, Mundo Novo e Naviraí. Situação geral: boas condições climáticas, as lavouras encontram-se com bom potencial de produtividade. Pragas, doenças e plantas daninhas encontram-se controladas.

Região sul

Municípios: Deodápolis, Douradina, Dourados, Fátima do Sul, Glória de Dourados, Itaporã e Vicentina. Situação geral: com a proximidade do fechamento do ciclo da lavoura, as doenças não apresentam significância de perda na produtividade. Sendo assim, diante das excelentes condições vistas durante o desenvolvimento da cultura em praticamente toda a safra, os produtores estão cientes de que ótimas produtividades estão por vir.

Região sul-fronteira

Municípios: Amambai, Aral Moreira, Laguna Carapã, Ponta Porã e Sete Quedas. Situação geral: as lavouras encontram-se em boas condições, com as pragas e plantas daninhas controladas. As chuvas até o momento estão satisfatórias para o desenvolvimento da cultura.

Estimativa de produção

Para o milho 2ª safra 2016/2017, a estimativa da Aprosoja/MS é que o Estado tenha área plantada de 1,800 milhão de hectares, sendo a projeção de volume de produção de 9,180 milhões de toneladas. Com isso, espera-se alcançar produtividade média de 85 sc/ha.

O número estimado de produtividade é 45,5% superior ao efetivamente alcançado na 2ª safra do ano passado, quando houve quebra na produção de milho devido a questões climáticas. Em 2016, a produtividade média do Estado foi de 58,4 sc/ha.​

Fonte: SF Agro